Estudos

Nos nossos desenhos, procuramos mostrar os tipos que temos observado mais recentemente. Há décadas, o estudioso cinofilista Paulo Santos Cruz, descreveu os tipos que estavam surgindo com a mestiçagem. Naquele momento, podia-se identificar com mais clareza os mestiços “meio sangue”, ou seja, os resultantes de cruzas recente entre duas raças puras. Hoje, com o passar das gerações de mestiços, cruzando-se diversos graus de sangue de mestiços com Filas, as figuras tornaram-se mais disfarçadas, sendo necessário novo olhar sobre estes cães.

Vamos iniciar por um grupo de figuras que identificam as características das raças introduzidas no Fila, que apesar dos disfarces ocasionados pela salada de raças, ainda podem ser percebidos, nos ajudando a separar o joio do trigo.

Posteriormente poderemos estudar os mestiços multiraças que estamos vendo atualmente. Talvez seja inevitável que usemos fotografias para este estudo, o que poderá incomodar a alguns, mas se necessário, assim faremos, pois fotografias ilustram melhor que desenhos em certos casos. Será necessário identificar os graus de sangue em mestiçagem, como por exemplo, ¾ de sangue Fila/Mastif, ou outros.

No momento, vamos por partes, ou seja, os graus de sangue mais fáceis de identificar.

 

Observa-se uma figura compacta, de tamanho grande, dorso aproximando do reto, pouco sinuoso, pescoço mais curto do que o do Fila verdadeiro, e igualmente cabeça (crânio e focinho) curtos, embora o crânio seja grande. Dedos curtos.

Geralmente são cães bem estruturados e aprumados, com o posterior bastante forte. Apresentam beleza plástica, que engana ao criador novato, aparentando robustez e força concentrada. Mas o animal é demasiadamente pesado e incapaz para o trabalho no campo. A medida AB é maior que a medida BC.