Estudos

O crânio tende a se aproximar do arredondado, nunca apresentando formato de pêra. O focinho geralmente é pouco romano, podendo “arrebitar” um pouco. Os lábios levam a um formato mais quadrado, com narinas muito grandes.

Tendo em mente uma boa imagem de um Fila Padrão Original, a figura do Mastif se denuncia pela forma acima, em maior ou menor grau de distorção do padrão.

Acompanha este tipo geralmente um temperamento dócil, afeito a estranhos. Mesmo quando treinados para disfarçar esta característica, pode-se observar que se portam um tanto indiferentes a estranhos nas exposições, distraídos da guarda.

Entre as aparências evidentes de raças estrangeiras (importada em épocas recentes, após o reconhecimento do Fila como raça pura) no nosso Fila, encontramos características que se assemelham ao Mastim Napoletano e ao Mastif Inglês, muitas vezes aparência das duas raças em um mesmo cão.

Alguns criadores justificam aparências tão evidentes pelo fato de que o Fila descenderia destas raças, portanto poderia apresentar tais características. Só um detalhe: o padrão da raça não identifica estas características como permitidas. Outro detalhe: até à década de 1950 estas características não existiam!

Comentários sobre a imagen:

1 – (acima) Animal grotescamente compactado, expressão estranha, mastifada (aparência de Mastif Inglês), muito carregada, com “ar” de apatia, indiferença. Geralmente são animais linfáticos (lerdos ou de reações retardadas) e pouco enérgicos. A expressão deveria ser grave e vivaz. Apresenta lábios muito profundos, nitidamente em V invertido, quando deveria ser em U invertido.

Somando-se o conjunto de características indesejáveis, algumas muito indesejáveis, e a aparência acentuada com raças alienígenas, podemos dizer que se trata de animais exóticos, estranhos à história do Fila.