História

Do Conde com a Opala nasceu uma ninhada linda.

Alguns filhotes seguiram para Goiânia e eu fiquei com duas fêmeas e dei outras duas a amigos. As minhas morreram de erliquiose, que na época eu não soube tratar. Mais de um ano depois apareceu na minha casa um filho de um amigo com uma cadela pequena, linda. Verifiquei a resenha dos filhotes no formulário de verificação de ninhadas guardado em casa e constatei que seu nome seria “Sabará do Caramonã”, filha da Opala do Caramonã com o Conde das Torres do Rio Bonito.

Realizando um retro-cruzamento da Sabará com o Poguaçú do Caramonã, obtivemos um extraordinário resultado. Desta ninhada Touro do Caramonã tornou-se um dos maiores padreadores da raça Fila em Minas Gerais, originando diversas linhagens. Seu irmão Tupá do Caramonã fundou a linhagem São José da Lapa e também originou diversos criatórios em Minas, São Paulo e Bahia, além de outros na Europa e Estados Unidos.

Quanto á Brena, não aproveitamos da sua carga genética. Logo que chegou a Teófilo Otoni foi acasalada com o Poguaçú do Caramonã e deu cria a três filhotes tigrados, dos quais dois sobreviveram. Eu estava reservando um destes para a nossa criação quando recebi a visita em nosso canil, da Dona Marília Pentagna do canil Boa Sorte, do estado do Rio de Janeiro. Os filhotes estavam com dois meses de idade.

Dona Marília buscava um reprodutor que apresentasse temperamento forte. Provocou um dos filhotes para testá-lo e recebeu uma reação imediata e pronta de um filhote de guarda. Escolheu o filhote que eu reservara para mim, mas que cedi a ela com prazer. Os dois havia se entendido.

Seu nome era Titã Torres do Rio Bonito. Deste cão resultou um dos mais consagrados reprodutores do CAFIB, Oleiro da Boa Sorte (Titã Torres do Rio Bonito x Inalgittip). Do Titã veio também a bela cadela Pilar da Boa Sorte, ganhadora de inúmeros prêmios. A Brena veio a morrer logo a seguir, de torção estomacal.

Não fiquei com nenhum filho seu, mas a satisfação de servir à Dona Marília me bastou! No criatório Boa Sorte o Titã inaugurou um novo tempo. O irmão do Titã que ficou da ninhada foi para um iniciante criador da Bahia, tendo morrido antes de completar um ano de idade.

Alguns destaques.

Alguns cães da linhagem Caramonã merecem um destaque especial em razão do que representaram para o resgate da raça em Belo Horizonte e outras regiões do Estado e até outros estados.

Entre estes podemos citar o Touro, o Tupã, a Areta, e posteriormente a bela Jandaia de São José da Lapa. Desta vim a receber a fêmea Champanhe da Fazenda Mundeo, que proporcionou uma recuperação da minha criação em um momento difícil desta.

Os irmãos Touro e Tupá do Caramonã

Touro do Caramonan

Tupa do Caramonan